::Antes do Além

Você está pronto pra morrer? Pergunto sem nenhum viés filosófico ou religioso. Quero saber do ponto de vista prático. Se você morrer agora, deixará dinheiro pro enterro ou seus parentes terão que bancar tudo? O seguro de vida está visível ou à mão ou o beneficiário nem sabe que você se deu a esse trabalho? Alguém próximo tem a chave da sua casa ou haverá burocracia e os bombeiros virão arrombar se você começar a feder? Quanto tempo você “some” e continua vivão, apenas um pouco antipático sem querer dar muita satisfação? Você criou um código com os mais próximos? Você deixa instruções claras de número das contas e senhas pra movimentarem sua grana ou o gerente do banco terá que ir com a cara dos seus parentes e dar um jeitinho por gentileza? E seus cookies, o histórico de navegação? Você está pronto para inspeção post-mortem? E aqueles 85 selfies que você tirou até achar um que ficasse bom? Na sequência, você parecerá idiota em 84 fotos medonhas, especialmente se forem vistas em sequência, sua insegurança ilimitada deporá contra você e será mais lembrada do que aquela foto de perfil matadora com ótima luz e 200 likes. Você não se sente na obrigação moral de minimizar a decepção que causará nos que ficarem? Que tipo de reputação derradeira você deseja criar?

Eu tenho a ilusão de estar sempre preparada para cair dura sem pendências. O sonho é ir morrendo aos poucos pra conseguir passar um pano úmido na bancada da cozinha, jogar o lixo fora, especialmente se houver cotonete, o suspiro final for precedido de uma cafungada no aroma cítrico da loucinha limpa, pia higienizada, inclusive o ralo, a geladeira com itens todos na validade, inclusive os catchups de delivery. Ir para o além assim é mole, eles já dão logo uma roupa branca e aparece alguém com uma espreguiçadeira pro ex-vivente desfrutar da eternidade com muito glamour. Nem sempre é assim ideal o mundo dos mortos de surpresa. Quem é fulminado por algo pode inclusive estar no único dia em que a roupa de baixo não combina. É preciso estar vigilante e atento!

Sempre há tanto o que fazer para cobrir os meus rastros mais impublicáveis e programar para que minha alma descanse tranquilamente. Todo dia provas contra mim são geradas e nunca há tempo de desfazer. É exaustiva a rotina de quem passou a vida causando má impressão e quer pelo menos resolver isso quando já tiver ido desta para melhor.

Meus cadernos têm segredos como canta o sabiá. Quando vierem aqui, os rascunhos vão gritar. Será que me amarão mais ou menos depois de fuçarem minhas entranhas por escrito?

Antes de existirem as redes sociais, morei sozinha por anos e dava sinal de vida pelo menos a cada 2 dias ligando pro meu pai e pras minhas irmãs, que tinham a chave da minha casa. Se sumisse, eles poderiam vir já com a equipe pra levar o corpo. Aí casei e o marido era o encarregado da inspeção diária (duplo sentido intencional). Depois que me separei, moro sozinha e uso as redes sociais pra mostrar que o pulso ainda pulsa. Eu estou sempre online tuitando. De vez em quando, fico exausta, jogo uma bomba de fumaça, faço o número do desaparecimento e ninguém sabe de mim. Porém, sempre tem alguém avisado desse movimento e deixo a “última visualização” do app do celular ativada. Minhas senhas estão visíveis e os seguros na caixa de documentos. Vivo melhor com tudo isso pensado, documentado e celebrado. Considero um ato de respeito por mim e elegância com os que eu amo e se importarão comigo. Quando eu morrer, chorem só um pouco e descansem em paz.

Pra ouvir enquanto lê:

Deixe seu comentário

Uma resposta para “::Antes do Além”

  1. Tina Lopes disse:

    Não era pra isso, mas ri muito com a tua cena da morte. =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *